terça-feira, novembro 28

ANGOLA – Eixo central do tráfico de marfim

Único país com elefantes que não assinou a convenção contra o tráfico, Angola abastece de marfim ilegal a Europa, os Estados Unidos e a China. Face à miséria que ali se vive, este problema não é, de todo, prioritário.

O Café del Mar ostenta a aparência de qualquer outro restaurante caro na Ilha do Cabo (Ilha de Luanda), estância balnear elegante para estrangeiros e angolanos ricos. Tem, no em tanto uma atracção especial: um pequeno mas bem fornecido quiosque de raridades, com filas arrumadas de peças artísticas de marfim, uma lembrança para turistas, actualmente ilegal, mas tradicionalmente muito vendida em África. «É verdade, somos muito populares. Este é o nosso marfim de Angola», afirma o dono da loja.

Apesar de a população de elefantes estar em extinção, Angola emerge como eixo regional no comércio ilegal de marfim. A sua quota no negócio de dentes de marfim duplicou no último ano, segundo um relatório das organizações de defesa da vida selvagem Traffic e WWF Internacional (…)

Este país do Sudoeste africano, rico em petróleo, devastado por quase três décadas de guerra civil, até ao acordo de paz em 2002, foi dado como o país de origem de 53 grandes capturas de marfim em cerca 12 países, entre 1999 e 2003. «Existe um risco real de extinção para os nosso elefantes», diz Vladimir Russo, chefe do grupo ambiental local e um dos maiores especialistas de vida selvagem no país. «O mercado civil do marfim cresceu desde o final da guerra. Há mais trabalhadores chineses com dinheiro para comprar peças de marfim. Mas muitos mais estrangeiros poderão estar a chegar».

Dos 37 países que ainda albergam populações selvagens de elefantes africanos, Angola é o único que não assinou a Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies de Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção (CITES) (…) em 1981 havia cerca de 12.400 elefantes em Angola (…)
Os rebeldes da UNITA, que combatiam o Governo do MPLA, foram acusados de atacar elefantes e saquear o marfim em longa escala (…) Crê-se que os muitos milhares de dólares assim gerados terão sido usados para comprar armas e mantimentos. DE ACORDO COM A UNIÃO INTERNACIONAL PARA A CONSERVAÇÃO DA NATUREZA, ANGOLA NÃO TEM MAIS DO QUE 246 ELEFANTES.

(…) O marfim é vendido às claras no Hotel Trópico, em Luanda que tem um pequeno ponto de venda no primeiro andar, destinado a diplomatas e executivos. É adquirido no Mercado do Artesanato, na vila marítima de Benfica. (…) Os preços variam 35 e 100 dólares (27 a 78 euros) (…) Os traficantes afirmam que a policia não costuma importuná-los.
(…) Este súbito crescimento da venda de marfim pode, a longo prazo, vir a tornar-se negativo para negócio em Angola. À medida que os elefantes vão sendo dizimados, o mesmo acontece com as expectativas de impulsionar as receitas, atraindo turistas interessados em ver elefantes em estado natural.
«Alguns turistas compram marfim, mas sem a nossa vida selvagem como é que podemos desenvolver turismo?». Pergunta Russo. «A longo prazo o problema é como definir as nossas prioridades», conclui.
.
REUTERS - Alistair Pole
In: Courrier Internacional Nº 85 - 17 a 23 de Novembro de 2006

5 comentários:

criacuervos disse...

Eu tenho uma Mêda danada da China !!!

Anónimo disse...

Não sei se hoje anda é assim mas alguns anos atrás, 4 ou 5, generais nossos, angolanos, entravam em helicopetros das FAA e iam caçar para as reservas animais. Quem pagava o combustivel e a deslocação??? Nós, os angolanos! Quem pagava as armas e as munições??? Nós, os angolanos! Quem pagava os animais??? Nós, os angolanos, porque os animais também já são importados da África do Sul.

Rosario Andrade disse...

Bom dia!
Neste caso creio que a culpa é inteiramente das pessoas que compram o marfim. Se não houver procura a oferta baixa.
Cumprimentos

Anónimo disse...

Kassumuna,

Deseje-vos um feliz natal com muita paz, saude e alegrias, que 2007 traga novas perspectivas.
Ao dono desta blog propunha-lhe que fecha-se porque näo esta em condições de levar avante os propositos de uma blog . Esta blog esta caduca, velha, ultrapassada no tempo e no espaço. Peço licença para descordar totalmente, na minha opinião o dono desta blog não esta preparado tão pouco em altura para o desafio que se impoem numa blog, reparem a desactualização dos contextos desta blog visivelmente aos escombros textos e temas sem fundamentos. Sinceramente! Desista deste desafio meu irmao. Que rediculo!
Tenho Dito E mais não digo!
Kassumuna e Brigadeiro 10 Pacotes

Anónimo disse...

Não existe a palavra albergaram !!!!!


Mas esse texto me ajudou muito

no meu trabalho !!! valeu